Siga-nos nas redes

Música

Howard Stern diz que Meat Loaf “foi apanhado por um culto maluco”

Publicado

em

Após a morte de Meat Loaf, aos 74 anos, Howard Stern pediu à família do músico para que defenda publicamente a vacinação contra a covid-19

O radialista Howard Stern deixou um apelo à família de Meat Loaf, para que defenda em público a vacinação contra a covid-19.

Meat Loaf morreu no passado dia 21 de janeiro, aos 74 anos, sem que tenham sido reveladas as causas do óbito. Porém, o site”TMZ” noticiou que Meat Loaf estava “gravemente doente” com covid-19.

Essa notícia levou Stern a afirmar, no seu programa, que o músico “foi apanhado por um culto maluco”. “Ele disse que preferia morrer livre a tomar a vacina. E agora está morto”.

“Gostava que a família se chegasse à frente e dissesse que, quando ele estava no hospital sem poder respirar, disse que cometeu um erro, que devia ter tomado a vacina. Como o dizem todos os anti-vacinas”, acrescentou.

Música

Canção inédita de Freddie Mercury desenterrada pelos Queen

Publicado

em

A revelação foi feita por Brian May e Roger Taylor numa entrevista à BBC Radio 2. Faixa será lançada ainda este ano.

Foi no decorrer de uma entrevista a Zoe Ball, na BBC Radio 2, que os membros remanescentes da composição original dos Queen – Brian May (guitarra) e Roger Taylor (bateria) – deram conta da descoberta de uma música inédita. “Encontrámos uma pequena joia do Freddie da qual já nos tínhamos esquecido”, contou Taylor.

Continuar a ler

Música

Eurovisão comentada a partir de abrigo na Ucrânia.

Publicado

em

A canção da Ucrânia está entre as primeiras dez finalistas. Timur Miroshnychenko, da televisão ucraniana, comentou o concurso abrigado das bombas.

No passado dia 10 de maio, teve lugar a primeira semifinal da Eurovisão 2022, com Portugal a conseguir ficar entre os dez finalistas tal como a Ucrânia que também passou à final com ‘Stefania’ dos Kalush Orchestra. O concurso acontece em Turim, Itália.

 Em contexto de guerra, Timur Miroshnychenko, o comentador da televisão ucraniana, relatou o que ia acontecendo no palco da arena Pala Olímpico a partir de um abrigo localizado em Kiev, a capital do país que continua a ser um alvo do Kremlin.

Os Kalush Orchestra, que interpretaram a canção ‘Stefania’, tiveram uma autorização especial, dada pelo governo ucraniano, para participarem no concurso, caso contrário os vários elementos do grupo teriam de estar a apoiar a Ucrânia no combate contra as forças militares russas ao abrigo da lei marcial que impede a saída do país de homens entre os 18 e os 60 anos.

A banda ucraniana tem sido apontada como a favorita à vitória no site de apostas eurovisionworld.

Além de Portugal e Ucrânia, estão na final: Suíça (‘Boys do cry’, Marius Bear), Arménia (‘Snap’, Rosa Linn), Islândia (‘Með hækkandi sól’, Systur), Lituânia (‘Sentimentai’, Monika Liu), Noruega (‘Give that wolf a banana’, Subwoolfer), Grécia (‘Die together’, Amanda Georgiadi Tenfjord), Moldova (‘Trenuletul’, Zdob si Zdub & Advahov Brothers) e Países Baixos (‘De Diepte’, S10).

De fora ficaram Albânia, Letónia, Eslovénia, Bulgária, Croácia, Dinamarca e Áustria.

Continuar a ler

Música

“SURRENDER: 40 Canções, Uma História” é o livro de memórias de Bono e chega a Portugal dia 1 de novembro

Publicado

em

Bono, que celebrou no passado dia 10 de maio 62 anos, aproveitou o dia de aniversário para anunciar o lançamento de um livro de memórias. “SURRENDER: 40 Canções, Uma História”, assim se chama a publicação, vai ser lançada a 1 de novembro. Em Portugal, a edição chega através da editora Objectiva, uma chancela da Penguin Random House Grupo Editorial.

Em “SURRENDER: 40 Canções, Uma História”, o vocalista da banda irlandesa escreve “na primeira pessoa sobre a sua vida notável e sobre aqueles com quem a tem partilhado”, diz a nota de imprensa. “Bono leva-nos até aos seus dias de juventude em Dublin [Irlanda], ao momento em que perdeu a mãe subitamente, aos 14 anos, à improvável viagem dos U2 antes de se tornarem uma das bandas mais influentes de sempre e aos mais de 20 anos como ativista, dedicado à luta contra a SIDA e à pobreza extrema.

Num exercício de franca autoanálise e com uma dose saudável de humor, Bono abre a porta para a sua vida, a sua família e amigos e para a fé em que se apoiou, que o desafiou e que o moldou”, continua o comunicado.

São 40 os capítulos que compõem o livro e cada um deles evoca uma música dos U2. O músico criou ainda 40 desenhos originais para ilustrar o livro e fez um vídeo, narrado por si, baseado nas suas ilustrações. O vídeo apresenta um excerto de um dos capítulos do livro – ‘Out of Control’ – no qual Bono narra o episódio da composição do primeiro single dos U2 a 10 de maio de 1960 – dia do seu 18. º aniversário.

“Quando comecei a escrever este livro esperava conseguir contar em maior pormenor o que apenas tinha deixado esboçado nas minhas canções. As pessoas, os lugares, as possibilidades de uma vida. SURRENDER é uma palavra carregada de sentimento para mim. Crescer na Irlanda nos anos setenta sempre pronto para a luta (musicalmente falando) não foi óbvio. Uma palavra a que regressei apenas quando organizei os pensamentos para escrever este livro. Ainda me debato com esta missão que me foi confiada. Na banda, no meu casamento, na minha fé, na minha vida enquanto ativista. SURRENDER é a história de um peregrino que não consegue avançar… com uma dose generosa de diversão pelo caminho.”

Bono

Continuar a ler

FAMA – CANAL 2

TV

RÁDIO FAMA Q

PODCASTS FAMA RÁDIO

Artigos recentes

ARQUIVO

Redes

Tendências